Compacta e bem planejada

0 comments
dez 17 2012

Em terreno estreito em bairro de classe média, a "Casa 4 x 30" se revela como um grande projeto de arquitetura.

Destaque em diversas publicações sobre arquitetura neste ano, dentro e fora da internet, a nova “Casa 4 x 30” construída em São Paulo, projeto dos escritórios CR2 Arquitetos e FGMF Arquitetos, acaba de receber uma menção honrosa no Prêmio do IAB.

A entrada incomum com alguns pufes vai até a cozinha, rebaixada no piso. À direita, a empena com obra de Fabio Flaks.

Destaque tanto pela sua forma compacta, adaptada ao terreno disponível de quatro metros de largura por trinta de comprimento, quanto pelas ótimas soluções arquitetônicas encontradas para cada um de seus desafios, a casa se mostra bonita, jovial, bem iluminada e contemporânea ao extremo. Inspirada nas minúsculas casas japonesas e holandesas também subverte o programa convencional de uma casa para a classe média para se tornar vanguarda.

O detalhe da mesa da cozinha em continuidade ao piso da entrada e os belos complementos do espaço.

Na busca por iluminação e ventilação naturais, o jardim central ganhou destaque e foi recortado no volume construído de forma a criar três fachadas super banhadas de luz. Os dois blocos resultantes foram unidos por uma passarela em torno do jardim e organizam as funções da casa obrigando os moradores a desfrutar do verde em todos os deslocamentos. A sala se abre para este jardim e acabou condicionando a cozinha a ficar logo na entrada do lote, o que é sempre um espanto. A solução veio de forma genial: a entrada da casa se dá por um espaço de serviço integrado e o piso da cozinha foi rebaixado em 75 centímetros, o que, além de aumentar o pé-direito, criou uma incomum continuidade entre o nível da sala e a mesa de jantar, integrada à ilha com forno embutido. Rebaixada, a cozinha se mostra por uma perspectiva inusitada, sendo parte do mesmo espaço, mas com notada diferença entre os programas “sala” e “cozinha”.

O jardim interno que divide a casa em dois blocos.

Destaque também para um belo painel artístico de Fabio Flaks, feito em ladrilho hidráulico, que deixa-se ser visto na empena desde o exterior da edificação, definindo a entrada da casa. A garagem toda aberta tem piso permeável e é outra surpresa numa metrópole onde “se fechar” é o lugar comum da esmagadora maioria dos projetos residenciais. E, para fechar com sustentabilidade, um grande deck ocupa a cobertura e cria um outro espaço de lazer rodeado por uma faixa de teto verde. Para o casal de proprietários, que vivia em um apartamento, nada mais poderia ser desejado neste acertado projeto.

A sala, aberta para o jardim interno.

Fonte: Archdaily Brasil
Fotos: Fran Parente